O surgimento da pandemia do novo Coronavírus causou impactos severos em negócios e serviços ao redor do mundo e o e-commerce não é exceção. No entanto, enquanto empresas físicas na China, Europa, EUA e Brasil pararam instantaneamente, o impacto da nova doença no comércio eletrônico não é tão simples de compreender.

Diversas cidades ao redor do mundo testemunharam um aumento inicial de cerca de 52% nas compras online e um aumento de quase 10% no número de consumidores. O isolamento social pareceu contribuir consideravelmente para o crescimento do comércio virtual, mas a história não acaba aí.

De acordo com uma reportagem do portal Bloomberg, cerca de metade dos vendedores online perceberam uma tendência de queda em seu tráfego desde a metade de fevereiro/2020. Além disso, 64,5% das lojas online do Planeta, não notaram mudanças no alcance das campanhas de suas redes sociais ou no número de vendas desde o início da pandemia do COVID-19 em seus países. Essa perspectiva pode parecer um pouco confusa, mas tentaremos explicar melhor os efeitos do novo coronavírus no segmento de e-commerce.

Os pontos positivos para o e-commerce em meio à pandemia

1. Vendas de produtos de supermercado aumentaram consideravelmente

Os produtos de uso diário ou de supermercado tiveram um aumento considerável no número de vendas neste período. Com a diminuição do fluxo de pessoas nas ruas e as recomendações para permanecer em casa no período da quarentena, a população está buscando alternativas para comprar itens de primeira necessidade, o que não surpreende.

De acordo com uma pesquisa americana, alimentos não perecíveis tiveram um aumento de até 69% nas vendas durante os últimos meses, enquanto itens como aveia, arroz e macarrão cresceram cerca de 58%.

2. O segmento dos produtos de higiene se tornou o campeão de vendas

Os e-commerces especializados em produtos farmacêuticos e de higiene notaram um surto de vendas durante o período da pandemia. Com os shoppings fechados, a população se voltou para as lojas online para obter diversos produtos de higiene pessoal, indicados pela Organização Mundial de Saúde, para se proteger do vírus.

Itens como máscaras, luvas e higienizadores de mãos e superfícies tiveram um aumento considerável nas vendas. De acordo com o Adobe Analytics, lojas online viram um aumento incrível de 817% nas compras nos Estados Unidos.

3. O comércio de medicamentos também cresceu consideravelmente

De maneira similar, as vendas de medicamentos cresceram significativamente depois do surgimento do Coronavírus. Em geral, o público tem procurado por remédios para resfriados, tosses e para o tratamento da gripe, como já era de se esperar, devido ao medo em relação ao novo vírus.

As vendas online de medicamentos, cresceram consideravelmente, chegando a 198% no período observado. Em geral, as lojas online especializadas em produtos farmacêuticos tiveram um bom desempenho desde o começo da pandemia.

Entenda o impacto da pandemia do COVID-19 no e-commerce

Os pontos negativos para o e-commerce em meio à pandemia

1. O enfraquecimento do sentimento de consumidor diminuiu a demanda

À medida que as autoridades enfrentam o vírus e toda a população foca sua atenção no enfrentamento da pandemia, as economias estão sendo extremamente prejudicadas pelo fechamento de fábricas e o fechamento do comércio, naturalmente.

Não é tão surpreendente que o sentimento de consumidor tenha enfraquecido consideravelmente, com o crescimento de um pessimismo em relação aos mercados. A expectativa é que esse sentimento cause uma queda nas vendas nos próximos meses, tanto em lojas online quanto físicas.

2. Os consumidores estão, em geral, desinteressados

Os especialistas supunham, inicialmente, que o aumento da quantidade de pessoas em casa incrementaria as vendas do e-commerce, mas não é isso que tem acontecido. A verdade é que o Coronavírus representa uma grande fonte de preocupação para a população em geral e isso tem afetado as vendas de todos os segmentos da indústria, comércio e serviços.

O mundo inteiro está tão preocupado com notícias a respeito do vírus, acompanhando as atualizações que mal tem tempo de pensar em qualquer outra coisa. Nesse momento de crise, as pessoas estão mais preocupadas em sobreviver e cuidar de suas famílias.

3. As pessoas estão mais cuidadosas

A natureza altamente contagiosa do COVID-19 instigou bastante medo no coração de todos. A população em geral está evitando encontrar outras pessoas, mas também evitam também, entrar em contato com objetos que podem carregar a infecção para dentro de suas casas.

As entregas online trocam de mãos diversas vezes, desde a separação, montagem das caixas, até o manuseio durante o transporte e o público sabe que é perfeitamente possível, que durante esse processo, a embalagem acabe ficando contaminada. Esse é um dos principais motivos pelos quais os consumidores estão evitando pedir itens supérfluos e focando apenas na compra dos produtos essenciais.

Entenda o impacto da pandemia do COVID-19 no e-commerce

Como minimizar as perdas em meio à pandemia

É claro que nem tudo está perdido. Muitos e-commerces estão enfrentando dificuldades para repor seus estoques, por exemplo e se esse for o seu caso, seja transparente e objetivo com seus clientes e deixe claro que as entregas poderão sofrer atrasos.

Se esse não for seu caso, existem algumas estratégias que seu e-commerce pode usar, para tentar minimizar as perdas nesse momento difícil, enquanto ajuda os seus clientes a superar as dificuldades pelas quais eles estão passando.

  • Isso provavelmente deveria ser óbvio, mas aumentar os preços de produtos de primeira necessidade de maneira abusiva não é uma estratégia boa, muito menos, ética. Tentar lucrar além de suas margens normais em uma situação tensa, emergencial, pode custar muito mais caro do que você imagina. Além de correr o risco de ter que enfrentar problemas legais, aumentar os preços abusivamente é uma maneira certa de perder clientes a longo prazo.
  • Muitos produtos estarão em falta nos próximos meses. Mesmo as grandes cadeias de distribuição já encontram dificuldades em estocar e atender a demanda de certos itens. Portanto, não se preocupe se você não conseguir fornecer alguns produtos. Seja transparente e explique o problema para os seus clientes. Isso o ajudará a evitar problemas a longo prazo.
  • Tome cuidado ao fazer “promoções” e vendas especiais relacionadas ao Coronavírus. Não tem nada de errado em tornar produtos que os clientes precisam mais acessíveis e evidentes, mas piadas e brincadeiras relacionadas ao vírus e à doença raramente são uma boa ideia.
  • Dito isso, campanhas de marketing que não façam referência direta ao vírus, mas que sugerem que as pessoas ‘se ocupem’, por exemplo, podem ser uma boa alternativa para ajudar os clientes a encontrar produtos que você vende e que eles precisem, mas não tinham pensado a respeito, como uma forma de ocupar o tempo.
  • Isso já foi dito, mas é sempre bom enfatizar: fique atento aos seus estoques, não deixe nenhuma forma de gerenciamento automático cuidar da sua logística. Não venda produtos para depois perceber que não pode entregar, pois estão faltando em seus estoques.

Esperamos que este texto tenha ajudado você a entender melhor os possíveis impactos da pandemia sobre o e-commerce mundial. Caso tenha alguma dúvida ou queira compartilhar uma sugestão ou curiosidade, fique à vontade para escrever um comentário. Não deixe de compartilhar este texto com seus amigos e em suas redes sociais!